1 min de leitura

O governo de São Paulo informou que o início das aulas no estado será mantido para o dia 2 de fevereiro, apesar do avanço de casos da variante Ômicron do novo coronavírus.

A primeira remessa de imunizantes da Pfizer, específica para crianças, com cerca de 1,2 milhão de doses chegou ao Brasil nesta quinta-feira (13). Para esse público, a vacina é diferente da que está sendo aplicada em pessoas acima dos 12 anos: a dose é menor e a composição do imunizante é diferente.

Na semana passada, o governo estadual havia dito que o estado de São Paulo está pronto para iniciar a vacinação de crianças e que tem capacidade de aplicar até 250 mil vacinas por dia, caso estas doses estejam disponíveis.

A faixa etária entre 5 e 11 anos é estimada em 4,3 milhões de pessoas no estado, sendo que 850 mil delas apresentam alguma comorbidade ou são indígenas ou quilombolas e terão prioridade na vacinação.

Para agilizar a vacinação em São Paulo, o governo estadual solicita que os pais façam o cadastro dos filhos no site Vacina Já. O pré-cadastro é opcional e não é um agendamento, mas agiliza o atendimento nos locais de imunização, evitando filas e aglomerações.

Vacina segura

O secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, reafirmou a segurança dos imunizantes e e assegurou a eficácia da vacina contra covid-19 em crianças. “Nós temos vacinas que se mostram seguras e eficazes”, disse ele. 

“Não temos risco de vacinar, mas o risco de negligenciar a vacina. Vacinas já se consagraram como proteção. A segurança da vacina é infinitamente maior do que eventuais riscos”, reforçou.

 

Comentários