2 min de leitura

Após o Ministério da Saúde retirar os adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades da lista de grupos de vacinação contra coronavírus, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM) se posicionou e defendeu que as doses devem continuar sendo aplicadas para essa faixa etária.

Por meio de uma nota, a SBIM ressaltou que a medida gera receio na população e pode favorecer a circulação de fake news. “A Organização Mundial da Saúde (OMS) não é contrária a vacinação de adolescentes ‘com ou sem comorbidades’. De acordo com o Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (SAGE, na sigla em inglês) da entidade, as vacinas de mRNA — caso da Pfizer/BionTech — são adequadas para o uso em pessoas acima de 12 anos”, traz o comunicado.

No Brasil, o uso da vacina da Pfizer nesta faixa etária foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que também se manifestou confirmando que a liberação desse imunizante para adolescentes ocorreu após a apresentação de estudos de fase três com dados de segurança e eficácia.

Em agosto, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) recomendou a vacinação dos adolescentes para o retorno seguro do ensino presencial. O órgão aponta que a vacinação de jovens de 12 a 18 anos pode significar um retorno mais rápido à prática de esportes e outras atividades e a uma socialização mais completa, incluindo o fortalecimento das relações intergeracionais na família e na comunidade. 

Onze capitais manterão a vacinação contra covid-19 para adolescentes

Ao menos 11 capitais já anunciarão que manterão a vacinação contra covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades, sendo elas: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Aracajú (SE), Goiânia (GO), Rio Branco (AC), Vitória (ES), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Porto Velho (RO), Fortaleza (CE) e Florianópolis (SC).

Irão suspender a vacinação as capitais Salvador (BA), Natal (RN), Belém (PA), Campo Grande (MS), Maceió (AL), Manaus (AM). 

Com altas taxas de vacinação, Nova York retoma ensino 100% presencial

Em Nova York, onde 70% das pessoas com pais de 12 anos estão vacinadas, o ensino foi retomado 100% presencial. Desde que as aulas voltaram, no dia 16 de agosto, o condado de São Francisco, na Califórnia, que tem uma taxa de vacinação de de 79% para pessoas acima de 12 anos, não registrou um único surto escolar de covid-19.

 Por outro lado, na Flórida, na Hillsborough County Schools, em que apenas 58% dos jovens acima de 12 anos estão vacinados, cerca de 8 mil alunos foram obrigados a fazer quarentena após um surto em massa no mês passado.

Comentários