2 min de leitura

O Natal é uma das mais importantes datas festivas do cristianismo, sendo celebrado anualmente no dia 25 de dezembro. Nessa festa, os cristãos comemoram o nascimento de Jesus Cristo, evento que aconteceu em Belém, na Palestina. Em outras religiões essa data também é comemorada – mas com um significado diferente. Embora sejam significações divergentes, a mensagem da data é a mesma: amor ao próximo e união. Nas escolas, um dos questionamentos neste período do ano é se a comemoração pode ser inclusiva com as múltiplas religiões existentes.

Lucas de Briquez, diretor Administrativo da Teia Multicultural e CEO da Asas Educação, explica que há diversas interpretações sobre o Natal nas religiões. “Na umbanda, por exemplo, a data também é lembrada como o nascimento de Oxalá. No hinduísmo, é vista como o nascimento de mais uma manifestação de Vishnu, um dos principais deuses indus”, pontua. 

No judaísmo, em dezembro é comemorado o Chanucá, que começa após o pôr do sol do dia 24 de dezembro. A festividade dura oito dias, onde é celebrada a vitória da luz sobre a escuridão. Segundo Lucas de Briquez, no último mês do ano, a Escola Teia Multicultural promove atividades que mostram aos alunos as múltiplas interpretações religiosas sobre o mês. O contato com múltiplas culturas permite aos alunos ampliar sua visão sobre a diversidade religiosa e cultural que existe no mundo e promove o respeito às diferenças. 

“Não podemos esquecer que vivemos em um país cujo Estado é laico, ou seja: há garantia de liberdade religiosa para todos. Portanto, dentro do ambiente de ensino, é fundamental que todos os alunos – independente de crença, se sintam incluídos”, declara Georgya Corrêa, Idealizadora e Diretora Pedagógica da Teia Multicultural e Diretora Pedagógica da Asas Educação.

Foto: Divulgação

Comentários